O CÃO VELHINHO


Tal como no início de vida dos nossos patudos, também nos seus últimos anos a nossa atenção deve ser redobrada!


Esta é a altura de vos falarmos do cão sénior (e esta designação é variável em idade conforme a raça do mesmo - os cães de raça gigante "envelhecem" a um ritmo diferente dos cães de raça miniatura) e de algumas alterações a que devemos estar atentos.

Tal como os mimamos quando são cachorrinhos e super fofos, na fase geriátrica, mais do que nunca eles precisam de nós!!
Doenças dos mais variados tipos desde problemas articulares, dentários, cognitivos, cardíacos, etc surgem com mais frequência na fase sénior e tal não é de admirar, basta fazermos a comparação connosco humanos!


Encorajamos e aconselhamos a todos os melhores-amigos-humanos que actuem profilaticamente e recorram a check-ups analíticos regulares do seu patudo, porque infelizmente eles não falam e não nos conseguem dizer onde dói, que já andam enjoados há uns tempos, têm uma sede incontrolável e não conseguem perceber porquê...

Alguns sinais de alerta poderão manifestar-se por:

- Tosse
- Cansaço
- Sedentarismo mais marcado (o vulgar: "o meu cão anda mais parado...mas deve ser da idade")
- Aumento exagerado de ingestão de água
- Diminuição de apetite
- Perda de peso (que pode não estar associada a alteração no apetite)
- Alterações de comportamento

... e tantos outros sintomas... (perguntem ao vosso veterinário e pensem que descobrir patologias ANTES dos sintomas surgirem pode significar um melhor prognóstico e mais tempo de vida com QUALIDADE para o vosso mehor amigo)

A palavra de ordem nos nossos velhinhos é PREVENÇÃO. Quando é que foi a última vez que o vosso amicão fez um chek-up?

Falem com o vosso veterinário de família e informem-se sobre os exames que o vosso patudo deve fazer?

Sem comentários:

Enviar um comentário