PIT BULL OU AMERICAN STAFFORDSHIRE TERRIER

Curiosidades, Mitos e Verdades
Começando pela designação "Pit Bull", que não se refere especificamente ao American Staffordshire Terrier, mas que serve para definir um conjunto de características comuns a algumas raças.
Nesse grupo, podemos encontrar além do A.S. Terrier, o American Pit Bull Terrier, Bull Terrier, Dogo Argentino, Japanese Tosa, Dogue de Bordeaux e o Bulldog.

A raça teve origem em Inglaterra e deriva do cruzamento entre a força do English Bulldog e a personalidade destemida do Terrier. Posteriormente é levada para os Estados Unidos pelos colonos britânicos, tendo sido reconhecida pelo American Kennel Club como American Staffordshire Terrier (e não Pit Bull) em 1936. Desde 1991 que esta raça foi banida de Inglaterra e do País de Gales.

Primariamente destinados à luta entre cães e outros animais como o touro (Bull) ou o urso, o Pit Bull ganha esta designação quando são abolidos os espectáculos de tortura que realizavam com touros (principalmente). Num fosso (em inglês Pit) colocavam inúmeras ratazanas e o cão era instigado a matar o maior número de roedores, de forma a ganhar o desafio, que geralmente se convertia num prémio em dinheiro de apostas.

A sua origem de lutas, faz com que seja uma raça que necessita de socializar desde muito cedo com pessoas e principalmente com outros animais. São comuns reacções adversas a outros animais (especialmente outros cães), mesmo em cães que nunca demonstraram agressividade com pessoas.
Curiosamente, não são considerados bons cães de guarda porque "confiam demasiado" e gostam muito de humanos.



São cães extraordinariamente inteligentes, que necessitam tanto de actividade física como de desafios mentais, tornando-os excelentes aprendizes de truques e variados comandos desde cedo.

O treino deverá ser firme desde os primeiros meses de vida e os donos de Pitties (alcunha carinhosa para os Pit Bull) devem ter em mente que o vosso puppy vai crescer e desenvolver uma musculatura respeitável ;) 

Convém definir limites e estabelecer uma relação saudável com qualquer cão, mas especialmente em raças cuja personalidade dominante aliada ao porte grande ou força excessiva pode trazer dissabores mais tarde.



As primeiras notícias sobre ataques de Pit Bull que surgiram nos anos 80 coincidiram com o reaparecimento das lutas de cães.
Actualmente as manchetes negativas sobre esta raça estão relacionadas com pessoas que treinaram os seus animais para essa função e que não têm qualquer tipo de relacionamento com eles. 
Acorrentados ou fechados em jaulas durante toda a vida, é inevitável o trauma e expectável a revolta.

Uma nota final sobre este assunto: grande parte dos ataques mencionados aconteceu com cães não castrados / esterilizados. Já referimos que é uma raça com personalidade dominante e que poderá evidenciar mais esses traços se o cão não for castrado / esterilizado no tempo indicado, pelo que se recomenda que se faça a cirurgia assim que seja possível.




MITOS

"Os Pit Bull não sentem dor."
Todos os cães são capazes de se abstrair e tolerar a dor extrema, especialmente se estiverem atentos ou focados em alguma actividade.

"A mandíbula dos Pit Bull tranca / prende se morder."
Errado! O Pit Bull tem mesmo muita força, só isso.
Ainda assim, num estudo para testar a força da mordedura realizado pela National Geographic em 2008, o Pittie ficou em último, depois do Pastor Alemão e do Rottweiler.

"Atacam até os donos!"
Muito raramente atacam pessoas. A menos que tenham sido treinados para essa finalidade...
São cães que adoram agradar os donos e se forem incitados a atacar, é o que vão fazer.

"São imprevisíveis e mais propensos a morder do que outros cães."
Um estudo realizado pela American Temperament Testing Society com 122 raças mostrou que têm tão bom ou melhor feitio do que por exemplo um Beagle ou um Collie.


Resumidamente, o teste avalia o temperamento do cão, que é submetido a situações de stress, pessoas que não conhece e sem o dono por perto. É-lhe atribuída uma pontuação de 0 a 10 e mediante os resultados, é feita uma estatística por raça, em que o 100% representa o melhor temperamento, i.e. a raça que responde e reage melhor a estímulos que não lhe são familiares e ou stressantes.


Resultados para as raças abrangidas pela denominação Pit Bull:
American Pit Bull 86%
American Bulldog 84.8%
American Staffordshire 83.9%
Bull Terrier 90.4%
Staffordshire Bull Terrier 89.6%

Resultados para raças populares nos Estados Unidos:
American Cocker Spaniel 81.9%
Collie 79.7%
Beagle 80.3%
Chihuahua 71.1%
Labrador Retriever 92.3%
Golden Retriever 84.6%
German Shepherd 84.2%
Jack Russell 84.1%
Mutt 86%
Pomeranian 75.8%
Pug 90.9%
Standard Poodle 86%

A raça com os resultados mais baixos foi o Skye Terrier com 37,5%

Para ler mais sobre este teste, podem consultar o Blog "The Truth About Pit Bulls" de onde foram retirados estes resultados.

Sem comentários:

Enviar um comentário