FEBRE DA CARRAÇA


Acho que podemos dizer que finalmente chegou o SOL e com ele, obviamente, o calor!
E hoje vamos falar-vos de umas sacaninhas que adoram o tempo quente chamadas carraças e algumas das doenças que podem transmitir aos vossos patudos de estimação.
A nossa Julia, com conhecimento de causa (que este ano já teve uma má experiência com carraças!), é a nossa mascote para abordarmos o assunto da "carraçose"!


A vulgar "Febre da Carraça" é uma designação generalista para falarmos de um conjunto de infecções que podem ser transmitidas por esses parasitas externos que conhecemos por carraças ou carrapatos.
A Erliquiose (provocada pela bactéria Ehrlichia spp.) e a Babesiose (provocada pelo protozoário Babesia) são dois exemplos de patologias que surgem pelo contacto com uma carraça contaminada.

Os sintomas são variáveis e podem ir desde falta de apetite, febre, apatia ou vómito até a situações mais graves e de risco de vida como anemias e insuficiência renal aguda.
No limite, este tipo de patologias podem necessitar de hospitalização prolongada e transfusão de sangue mas, de um modo geral, quando detetadas precocemente poderão ser eficientemente tratadas com antibióticos específicos e/ou anti-parasitários injectáveis.


Também o prognóstico destas doenças varia consoante a gravidade da infecção e dos sintomas. Numa fase inicial pode ser bastante animador, mas em situações de falha renal, pancreatite e anemia severa infelizmente a morte pode ocorrer.

Felizmente existem hoje em dia inúmeras opções no mercado veterinário para prevenir estas situações que podem inclusivamente ser bastante perigosas para nós os amigos humanos de duas patas!!
Desde spot-on, comprimidos (mensais ou trimestrais) e coleiras, existe oferta para todos os gostos e feitios (aconselhamos para os mais esquecidos o uso de comprimido trimestral ou coleira).

Informem-se com o vosso médico veterinário de família e bons passeios!! :D



Sem comentários:

Enviar um comentário