Glândulas sebáceas e Dermatites seborreicas






Quando os gatos se roçam em nós, estarão cheiros de saudades e carentes de mimos, ou haverá mais alguma razão?




Na verdade estão a marcar o dono com o seu cheiro! Conseguem-no através da produção de uma secreção oleosa (sebo) nas glândulas sebáceas, localizadas no queixo, lábios, pálpebras, base da cauda e escroto.

Estas glândulas ao secretarem gordura junto dos folículos pilosos ajudam a impermeabilizar os pêlos e conferem flexibilidade à pele. Para além disso, estas substâncias aromáticas (mais conhecidas por feromonas, imperceptíveis ao olfacto humano mas altamente específico para felinos), permitem que o gato marque os objectos preferidos com o seu próprio perfume, quando esfrega repetidamente a cabeça e o corpo.

Fique atento e procure as manchas gordurosas, de cor acastanhada, nas esquinas da casa, mobílias e brinquedos.


Na altura da reprodução, as glândulas sebáceas secretam mais óleos perfumados, com o objectivo de atracção e marcação de território. No entanto, fora desta época podem manifestar-se problemas nestas glândulas em zonas bem localizadas, nomeadamente queixo e base da cauda.


Acne felino

Quando há produção excessiva de sebo na glândula do queixo, acumula-se uma substância preta gordurosa, que poderá ser confundida com fezes de pulga. Esta situação, designada como acne felino é muito comum nos nossos gatos.

Se não for tratado pode evoluir para infecções bacterianas e foliculite (inflamação dos folículo pilosos). O queixo fica inflamado, dorido e com pústulas.

Nestes casos é recomendado optar por taças de cerâmica ou metal, evitando as de plástico (pelo risco de causarem alergias na zona do queixo), manter o queixo limpo após as refeições e se necessário usar soluções de limpeza.


Hiperplasia da glândula da base da cauda  - tipo  “Cauda de cavalo”


A glândula sebácea da base da cauda também pode produzir sebo em excesso e dar um aspecto muito característico nos gatos de pêlo médio a comprido, fazendo lembrar a cauda de um cavalo, uma vez que os pêlos dessa região ficam emaranhados com aspecto oleoso e "espetados", e a pele suja junto aos folículos pilosos.

 É mais comum em machos não castrados, devido ao efeito hormonal da testosterona.












Dermatite seborreica do gato Persa

Surge pela produção excessiva de gordura na pele, devida a irritações causadas por parasitas ou fungos, alergias, obesidade, problemas hormonais ou mesmo dietéticos. Quando estas causas não estão presentes, e acontecem no gato Persa, falamos em dermatite seborreica idiopática, pois a causa não está esclarecida e apesar de não ser exclusiva nesta raça, é definida como típica neste felino.

A pele fica vermelha, irritada, seca e descamativa (seborreia seca), ou oleosa, sobretudo nas zonas lombar, axilar e pescoço. Causa comichão e torna a pele ainda mais frágil. Por vezes nota-se mau cheiro, pelo excesso de gordura.


Se tem um gato e especialmente um Persa, está na hora de pesquisar estes sinais.

Lembre-se que a desparasitação externa regular e ração de boa qualidade, previnem muitos problemas, tornam a pele mais saudável e fazem parte do tratamento da dermatite. A associação de suplementos à base de ácidos gordos ómega 3, banhos com champô antiseborreico e administração de antibióticos, podem ser necessários em casos mais complicados.

Sem comentários:

Enviar um comentário