WEST HIGHLAND WHITE TERRIER a.k.a. WESTIE


Este é o Boris, um Westie de nove meses, que nos vai ensinar tudo o que precisamos saber sobre a raça desde a sua origem.


História


Descendente dos Cairn Terrier e dos Scottish Terrier, o West Highland White Terrier (ou Westie) é o resultado de sucessivos cruzamentos entre cães totalmente brancos. Tanto os Cairn como os Scottish podem ter ninhadas com um ou outro cão totalmente branco e foram esses os escolhidos para que esta raça só produzisse cães dessa cor.

O motivo? Um azar e tristeza imensos.
Consta que no séc XIX o Coronel Edward Donald Malcom, confundindo-o com um coelho ou raposa, baleou acidentalmente o seu Cairn Terrier preferido. Desde esse dia, jurou nunca mais caçar com cães que não fossem totalmente brancos.

O seu corpo em forma de bala, maciço, compacto e de patas curtas, foi "desenhado" para que pudesse entrar e sair das tocas e esconderijos dos pequenos roedores e raposas que ajudava a caçar. No entanto, e por muito ágeis que fossem, às vezes ficavam presos e por essa razão a sua cauda é forte o suficiente para que os caçadores os conseguissem puxar para fora das tocas.

O que não significa que se deva fazer isto constantemente e/ou com força excessiva, por isso: atenção aos papás de Westies e crianças pequeninas! ;)


Traços Comuns, Personalidade e Treino


Apesar de adorar estar perto da sua família, o Westie não é um cão carente, de alta manutenção ou exigente no que toca à atenção ou mimos. Prefere um lugar sossegado e nos meses frios esse lugar em princípio será perto de uma fonte de calor.

São bons cães de apartamento, mas convém que sejam ensinados desde puppy a não ladrar, já que é uma característica da raça. O antepassado caçador do actual Westie avisava os caçadores do lugar onde se escondiam as suas presas ladrando, sinalizando o local.

Outra tendência desta raça, que pode (e deve) ser evitada através de treino e brinquedos é escavar o chão (para procurar pequenos animais), principalmente para Westies que tenham acesso ao jardim.
Já que lhes é inato o instinto caçador, deve haver o cuidado de redireccionar a energia e atenção para outras brincadeiras e brinquedos como peluches, bolas e cordas.

Uma advertência: cuidado extra ao passear em jardins, parques ou outros locais onde possa haver animais de pequeno porte (gatos, esquilos, ratos, raposas...). Será quase impossível de evitar que o vosso Westie desate a correr, podendo colocar a sua vida em risco...sem falar na das suas "presas"!

Requerem bastante tempo de treino e (geralmente) não se recomenda esta raça a "marinheiros de primeira viagem". São muito independentes e gostam de fazer o que lhes apetece, o que se pode revelar um desafio maior do que o esperado. O treino deverá começar a partir das 12 semanas, mantendo a consistência e a rotina até aos 12 meses.

Precisam de limites, rotinas e reforço positivo. Tem de haver alguma recompensa para o Westie manter a atenção e o interesse no treino. Por esta razão, o treino com o "clicker" tem sido bastante utilizado com esta raça.


Higiene Grooming e Saúde


O pêlo dos Westies é constituído por duas camadas:

 - à superfície possui uma camada de pêlo cerdoso, mais áspero e espesso, que evita que a terra e outros detritos fiquem agarrados

 - junto à pele, uma camada de pêlo suave e mais fino mantém-nos quentinhos

Para manter um pêlo saudável, recomenda-se escovagem e tosquia regulares.


As orelhas e barriga dos Westies são muito sensíveis, pelo que se deve evitar a exposição solar nas horas de maior calor. Tal como noutras raças, recomenda-se o uso de protector solar nessas zonas nos passeios ao sol.


São maioritariamente saudáveis mas, como quase todas as raças, propensos para algumas doenças:

 - Osteopatia Craniomandibular (manifesta-se entre os 4 e 8 meses de idade)

 - Síndrome de Legg-Calvé-Perthes / Doença de Perthes (doença degenerativa da articulação da anca)

 - Cataratas

 - Fibrose Pulmonar

 - Luxação da Rótula

 - Dermatite Atópica Canina

Sem comentários:

Enviar um comentário